top of page

O QUE VOCÊ QUER?

Marcos 10.46-52

 

INTRODUÇÃO

O título que dou para nossa reflexão hoje está no começo do v.51, que é uma pergunta que Jesus fez para um homem que era cego. Jesus perguntou pra ele: “O que você quer que eu lhe faça?”  

Esse texto da Bíblia é fantástico. Aliás, pra nós pregadores, esse texto é como fazer churrasco com carne boa. Esse aqui é um dos melhores textos da Bíblia pra pregação. Aliás, é um texto muito pregado.

E como acontece com o churrasco quando a carne é boa, o trabalho do churrasqueiro é não estragar a carne. Porque tem aquele churrasqueiro que gosta de dar uma salgadinha e de queimar um pouco mais.

Esse texto aqui é carne boa e o trabalho do pregador, portanto, é não estragar o texto. Mas tem pregador que dá umas pitadinhas do tempero dele. Então, o grande desafio é não estragar o texto porque ele é maravilhoso demais.

Nós temos aqui uma das histórias mais conhecidas da Bíblia, a história do Cego Bartimeu, o cego de Jericó, que estava à beira do caminho.

 

Vamos ler Mc 10.46-52:

“46 Então chegaram a Jericó. Quando Jesus e seus discípulos, juntamente com uma grande multidão, estavam saindo da cidade, o filho de Timeu, Bartimeu, que era cego, estava sentado à beira do caminho pedindo esmolas.

47 Quando ouviu que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: "Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! "

48 Muitos o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: "Filho de Davi, tem misericórdia de mim! "

49 Jesus parou e disse: "Chamem-no". E chamaram o cego: "Ânimo! Levante-se! Ele o está chamando".

50 Lançando sua capa para o lado, de um salto, pôs-se de pé e dirigiu-se a Jesus.

51 "O que você quer que eu lhe faça? ", perguntou-lhe Jesus. O cego respondeu: "Mestre, eu quero ver! "

52 "Vá", disse Jesus, "a sua fé o curou". Imediatamente ele recuperou a visão e seguia a Jesus pelo caminho”.

 

Esse texto chama atenção por conter três fatos surpreendentes: Primeiro fato, um clamor: “Jesus Filho de Davi, tem misericórdia de mim”! Ele gritava. Segundo fato, uma pergunta: “O que você quer que eu lhe faça?” E terceiro fato, um milagre: Jesus disse pra ele: “a sua fé o curou”.

E a história começa no v.46, quando Jesus, saindo da cidade que tinha o nome de Jericó, uma multidão se formou. E muita gente na rua, você imagina, é barulho, é todo mundo falando ao mesmo, é uma algazarra só.

Tinha a euforia das crianças e devia ter gente dando glória, gente falando “aleluia!”, gente cantando louvor, e gente perguntando: “Hei! O que é que tá acontecendo?”. E devia ter gente interessada em conversar com Jesus. Portanto, a multidão era barulhenta, todos estavam alegres, felizes. Era uma sensação.

Mas, diz o v.46 que havia um homem à beira do caminho pedindo esmolas.

Era alguém que ficava sentado, parado, porque não dava pra ele acompanhar os outros. Ele tinha dificuldades, limitações, era cego e coletava esmolas. Então ele devia ter uma canequinha com algumas moedas dentro pra chacoalhar, chamando outras moedinhas. Era um homem estacionado na vida. O destino dele era, todo o dia, ficar sentado à beira do caminho pedindo esmolas.

E quando aconteceu dessa multidão passar alegre, feliz, animada em seguir Jesus, o cego Bartimeu estava sentado à beira do caminho, sem experimentar nada do que aquela multidão estava experimentando.

Será que essa situação é parecida com a de alguém esta noite?

Porque você vem para o culto, encontra gente aqui, que na hora de cantar, cantam animados, batem palmas, aplaudem, parecendo felizes, e você fica com o sentimento de que está à beira do caminho, com suas limitações, suas dificuldades, sua dor.

Sua canequinha tá vazia e você fica pensando: “Poxa, eu queria estar como eles, na mesma felicidade deles, na mesma vibração deles. Mas eu não estou sentindo o que eles estão sentindo; eu estou aqui a beira do caminho”.

Há pessoas que nessa situação, se fazem de vítima: “Ah! Meu Deus do céu, a minha vida, o que será de mim? Eu vou morrer na beira desse caminho”.

 

Mas este homem cego, não tinha esse sentimento. Ele não ficava lamuriando a sua triste condição. Pelo contrário, olha o

v.47, ele estava ativo e gritando “Jesus! Jesus! Hei!”.

Eu imagino esse cego pensando: “Essa é a minha oportunidade! Jesus está passando aqui em São Fidélis, digo Jericó, quem sabe, nunca mais Ele volte. Então, essa é a minha chance. Eu tenho que conseguir que Ele olhe pra mim”.

E ele pensa: “A bênção tá a poucos metros, eu vou gritar. Visão eu não tenho, mas pulmão eu tenho. Eu vou gritar, porque eu não sei quando que Jesus vai passar por aqui de novo”. Ele não tinha aquele sentimento de derrota.

Então, a gente já pode aprender uma lição com esse cego, não é? Qual é o primeiro fato desse texto, que quero mostrar? O clamor.

Esse homem cego nos ensina a clamar a Deus com toda a força, antes que a oportunidade passe.

A oportunidade estava passando, mas ele disse: “Eu não vou deixar passar, não!” e se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim”.  

E tinha alguns, lemos no v.48, mandando que o cego ficasse quieto. Já tinha o barulho da multidão, muita gente falando ao mesmo tempo e uns mandando o cego se calar. Mas, Jesus ouviu o clamor dele e parou.

Você é uma pessoa que se sente à beira do caminho? Vê todo mundo animado, e você, parado, estagnado, porque afinal de contas, está sofrendo a sua dificuldade, a sua dor. A minha pergunta é: você tem clamado a Jesus?

Talvez, você pense: “Bem, naquela época, Jesus andava no meio do povo e quando Ele passava, passava. Dificilmente voltava pelo mesmo lugar. Hoje, não. Hoje, Jesus está sempre conosco na Pessoa do Espírito Santo. Então, eu posso deixar pra clamar amanhã, depois de amanhã, que Jesus não vai embora mais. Eu posso clamar depois”.

 

Tudo bem, você pode orar depois, mas, pensa um pouco: hoje, o seu problema ainda tem solução e amanhã pode não ter mais. Hoje, pra aquele relacionamento conturbado, ainda tem solução, mas amanhã pode não ter mais. E aí, você vai dizer: “Eu devia ter orado, devia ter clamado a Deus”, mas deixou pra orar depois, deixou pra orar qualquer dia, ora, qualquer dia, você morre e não pode orar mais.

Então, meu irmão, ainda que Deus esteja sempre presente e não muda, talvez, você que não seja mais o mesmo amanhã.

Hoje é o dia de você clamar a Deus de todo o seu coração. Não deixa pra amanhã o que você pode clamar hoje!

Em Hb 3.15 está uma passagem impressionante, que diz assim: “Por isso é que se diz: "Se hoje vocês ouvirem a sua voz, não endureçam o coração, como na rebelião”.  

Na hora que você sentir uma cosquinha no fundo do seu coração, dizendo: “clama, ora, faz oração”, naquela hora você deve orar.

Mas, veio alguns, olha o que diz o v.48: “Muitos o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais”.

É incrível, que quando queremos buscar a Deus, tem sempre alguém pra tirar de ideia. Aparece logo alguns pra dizer: “Fica quieto, não perca seu tempo. Eu já fiz isso que você tá fazendo e não adiantou. Já entrei pra igreja e saí, já fiz propósito com Deus e não consegui nada”. São pessoas que querem emprestar a derrota delas pra você.

E sabe, tem gente que fala isso, por inveja. Elas não conseguiram resolver o pecado que tinham no coração e se você resolver o seu, vai ficar chato pra elas.  

E tem pessoas que atrapalham as outras de buscarem a Deus, porque estudaram um pouco mais a Bíblia e passaram a se achar sabedores de tudo e falam: “Não é assim que se ora. Não é assim que se clama! Você tem que fazer conforme eu faço. E outra, Deus é soberano. Não adianta ficar esgoelando com Ele. Você não vai mover o braço de Deus”. E aí, fica botando minhoca na cabeça da gente, pra gente não clamar pela ajuda de Deus.

Mas ouça: não dê ouvidos. Não é porque o outro não conseguiu, que você não vai conseguir. Não é porque o outro faz de um jeito, que você tem que fazer também. Você tem a sua vida, tem a sua história, tem as suas características.

E a Bíblia diz assim em Jr 29.12: “Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei”. Deus é simples, você clama como estiver, vestido ou pelado, da maneira que consegue, e Deus vai ouvir. Deus só pede pra clamar.

Aliás, isso está escrito muitas vezes na Bíblia: “Clame a mim e eu responderei” (Jr 33.3). No Sl 40.1 tem o testemunho do salmista: “ESPEREI com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor” (ACF).

O que você acha se aquele cego não tivesse gritado ou clamado, teria sido curado? Tinha não. Claro, Deus faz muitas coisas sem precisar que a gente ore, mas na maioria das vezes temos que orar antes, clamar antes.

E sabe quem mais fica mandando a gente ficar calado e não clamar? Nós mesmos.

É, dentro de nós tem um inimigo chamado carnalidade, é aquela vozinha que fica dizendo: “Pra que você vai orar? Já orou e não deu certo. Desiste. Pra que procurar emprego? Você não vai conseguir!” Fica essa voz na mente.

Aí, sabe o que você tem que fazer na sua cabeça? Procurar a voz do Espírito Santo, porque Ele sempre fala diferente do diabo e diferente da nossa natureza carnal. O Espírito Santo sempre nos orienta para o bem. Mesmo quando Ele fala “não”, um conforto é gerado dentro de nós.

 

Então, sabe o que você tem que fazer? Você tem que se familiarizar mais com a voz do Espírito Santo.

Quando a gente é bem familiarizado com uma pessoa, o som da voz dela a gente percebe com facilidade. Você pode estar dentro de casa e lá fora, alguém chegou conversando, você sabe: “Fulano chegou”. Mas, se não conhecer a pessoa, não adianta, você não reconhecerá a voz dela.

Portanto, se familiarize com o Espírito Santo, conheça mais sobre o Espírito de Deus. Vem pra Escola Bíblica, nós vamos começar um estudo sobre a Pessoa do Espírito Santo.

É importante, porque a outra vozinha fica dizendo: “Não vai dar certo. Fique quieto no seu lugar”, mas o Espírito de Deus fala: “Clama a mim e responder-te-ei”. Então, fica nessa fé. Levanta o seu clamor.

Segundo fato aqui no texto: uma pergunta. Qual foi a pergunta de Jesus? “O que você quer que eu lhe faça?”

Eu gosto de perguntas. Sendo de natureza introvertida, o meu recurso é fazer perguntas. Eu sou capaz de fazer perguntas só pra ficar ouvindo as respostas, porque sou mais de ouvir do que de falar.

Deus faz perguntas, mas eu aprendi uma coisa: quando Deus faz perguntas, não é porque Ele não sabe, é porque Ele quer que a gente reflita, ou que a gente ponha pra fora os nossos sentimentos ou que a gente se enxergue.

Quando Adão pecou e se escondeu com Eva no meio do mato, Deus perguntou: “Adão, onde estás?” Deus sabia, claro, Ele é Deus! Mas Adão é que precisava enxergar a bobagem que fez.

No v.51, Jesus está perguntando pro cego: “O que você quer que eu lhe faça? O que é que você tem aí no seu coração? Eu escutei você gritar. O que é que você precisa pra sair dessa beira de caminho? O que é que tá faltando na sua vida pra você andar Comigo?”

 

Qual foi a resposta? Ah! Você vai dizer: “Tá muito claro aí no texto! O homem respondeu com todas as letras: “eu quero ver”.

Mas você acha que todo cego daria essa resposta? Porque tem cego na malandragem, que prefere ficar sentado com canequinha na mão pra esmolar. Não dá trabalho. Um cego malandro iria gritar da mesma forma: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim” e na hora de responder “o que queres que eu te faça?”, responderia: “Mestre, eu quero uma grana. O pessoal só dá moeda, eu quero uma grana”.

Tem o perigo de responder com coisa errada, porque esmola não muda a vida de ninguém. Talvez, a esmola de hoje seja grande, mas acaba e vai ser preciso voltar pra beira do caminho.

Então, Jesus pergunta “O que você quer que eu lhe faça?” e o que você vai responder? Você tem que pensar naquilo que vai mudar a sua vida.

Tem gente que diz assim: “Sabe qual é o meu problema? É morar em São Fidélis. Se eu morasse em Campos, em Macaé, Rio das Ostras, Búzios, a minha vida seria outra”.

Tem quem fala isso: “Meu problema é o Brasil. Se eu fosse para os Estados Unidos aí sim, minha vida era outra”.

Pensa: você vai morar em Campos, Macaé, Búzios, Estados Unidos, Europa, e não vai ter dificuldades e problemas lá? Claro que vai, porque o problema está em você e ele ainda não foi tratado.

Isso é igualzinho àquela pessoa que diz assim: “Meu problema é meu marido. Vou arranjar outro marido”. Arranja, aí, no novo casamento os mesmos problemas que acontecia no outro se repetem. A pessoa mudou o marido, mas continua sendo a mesma pessoa, com os mesmos ciúmes, as mesmas dificuldades.

 

Então, tem que pensar direito no que você quer pra você sair de vez da beira do caminho e se colocar na presença de Jesus. Deus está perguntando “Que queres que Eu te faça?”, você tem que responder direito, porque se responder esmola, pra hoje você resolve, mas amanhã vai precisar esmolar de novo.

Para o cego Bartimeu, Jesus chegou perguntando: “Quer resolver seu problema hoje? Quer resolver seu pecado hoje? Quer sair da beira do caminho hoje?” E ele disse "eu quero". E aí, Jesus resolveu a questão dele.

O que você quer pra sair da beira do caminho e acompanhar Jesus? Você precisa resolver o que você quer.

Eu acho engraçado os gatos. Tânia tem um gato lá no Pet. Os gatos são de ficar miando na porta. Aí, você abre, mas o gato não entra. Você percebe que ele tá te enrolando e fecha a porta. E o gato mia de novo e de novo. Você abre a porta e ele fica te olhando. Não entra.

Tem gente assim. Jesus pergunta: “Você quer resolver seu problema hoje?” E a pessoa fica: “Hoje não... hoje não tô com disposição”. Você tem resolver!

Bem, temos três fatos interessantes no texto: um clamor, uma pergunta e um milagre.

No v.52 lemos isto: “Vá", disse Jesus, "a sua fé o curou”. Um milagre aconteceu!

Você se sente legal quando ouve falar sobre milagres na Bíblia? Porque já houve vezes na minha vida de pregador, que ao ler o texto bíblico, na hora que falava de um milagre acontecido, eu não dava muita importância.

Eu havia aprendido que milagres são sinais que apontam para Jesus. Ou seja, que eles aconteceram naquela época, para sinalizar que Jesus é o Filho de Deus.

Mas o desconforto é que em certos lugares, se fala muito sobre milagre ainda hoje em dia. É de madrugada, é de manhã no café, é no almoço, é na janta. E a pregação é: “Deus tem milagre pra sua vida e se você quer milagre, então, tem que ter fé”.

E isso aborrece um pouco, porque se você não receber milagre é porque você não tem fé, a culpa é sua. E tem um mistério também: há milagres que acontecem do dia pra noite, são instantâneos, e tem milagre que leva 20 anos pra acontecer.

Como sair dessa? O que você sabe sobre milagres?

Sabe o que você pode responder? “Eu não sei quase nada a respeito desse assunto, mas eu sei que um milagre agora, ia me ajudar bastante”. Então não? Se por um milagre, aparecesse 5.000 reais na caixinha do correio lá de casa, ia ser uma bênção!

Eu não sei quase nada sobre milagre, mas se acontecesse de Deus curar o meu parente que tá enfermo, ia ser uma benção.

Pronto. O que você não deve, é entrar em discussão sobre essa questão de milagres, porque milagres não resolve a vida de ninguém. Dá uma ajuda, mas não resolve tudo.

Por exemplo, esse cego Bartimeu foi curado, passou a enxergar, recebeu o milagre. Mas, sabe, depois ele envelheceu e morreu.

Jesus fez o milagre da multiplicação dos pães. Valeu pra um dia, depois o povo teve que conseguir pão novamente. Lázaro foi ressuscitado. Mas, morreu de novo, tempos depois.

Então, você vê que milagres dão uma aliviada, mas não resolve a vida, não resolve tudo.

Sabe qual é o maior milagre? É o encontro de cada pessoa com Jesus, é quando a pessoa passa a seguir a Jesus como seu Senhor e Salvador.

No começo da história de Bartimeu, ele estava cego, sentado à beira do caminho. Mas, no v.52, agora diz: “ele recuperou a visão e seguia a Jesus pelo caminho”. Recuperar a visão foi só um detalhe, o principal, o mais importante, é que agora ele "seguia a Jesus pelo caminho".

O cara tava na beira do caminho, mas agora foi transformado, estava seguindo a Jesus pelo caminho. É isso que Deus quer fazer na sua vida! Vamos orar.

 

MINISTRAÇÃO

Se você está na beira do caminho, sabe qual é o propósito de Deus para a sua vida? É tirar você dessa beira do caminho, é fazer você seguir a Jesus junto com a multidão, porque é isto que vai resolver, vai mudar a sua vida.

A Bíblia revela que Jesus é o caminho, a verdade e a vida, que ninguém vai para Deus o Pai, senão por Jesus.

Ou seja, quando esse cego entrou no caminho, ele entrou na direção de Deus e da salvação dele. Então, o maior milagre que a gente precisa é entrar nesse caminho que é Jesus.

Que tal você, agora, falar de todo o seu coração: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim”? E Ele vai ter. Jesus está te perguntando: “O que você quer que eu lhe faça? Pra sair da beira do caminho, o que é que está faltando pra você?”

Tem um milagre de Deus pra sua vida, não duvide disso.

Clamor... não deixa pra amanhã!

Pergunta... responda o que vai mudar a sua vida.

Milagre... o maior é o encontro com Jesus.

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, baseado em Filipe Seabra

 

bottom of page