top of page

A MANEIRA CERTA DE VIVER A VIDA

Lucas 13.22

 

“E percorria as cidades e as aldeias, ensinando, e caminhando para Jerusalém”. - ACF

Este era o estilo de vida de Jesus. Neste verso, em palavras tão simples assim, está resumido a maneira como Jesus viveu a vida dEle aqui na terra. E considerando que é Jesus, o Mestre dos mestres, o Filho de Deus, então a maneira como Ele viveu, é a maneira certa da vida ser vivida por nós também.

Então, eu venho convidar você hoje, para junto comigo, conhecermos o estilo de vida de Jesus e checarmos o nosso, conferindo se estamos vivendo da maneira certa.

Qual é o seu estilo de vida? Como você tem procurado viver? Que significado você tem dado para os seus dias de vida? Que valor tem tido a sua existência aqui na terra?

Precisamos pensar sobre isso. Porque, embora tem aí aquela música do Zeca Pagodinho, que fala "deixa a vida me levar, vida leva eu", a gente não pode deixar a vida nos levar. É a gente que precisa levar a vida! Tem que ter um propósito. Tem que ter um objetivo. A vida não pode ser vivida sem um propósito.

Porque, irmãos, a vida é sagrada, é santa, é especial. A vida é preciosa demais!

 

Existe aquela história sobre três homens que estavam procurando emprego, e eles estavam empatados no processo de seleção. Então, havia uma última pergunta na entrevista. O empregador disse: “Eu vou fazer uma última pergunta para vocês e vai ser a pergunta do desempate”. Eram três candidatos e a pergunta era a seguinte: “O que você gostaria que as pessoas dissessem no dia do seu velório? O seu corpo estará no caixão, as pessoas em volta, e o que você gostaria que dissessem nessa hora?” E dependendo da resposta do candidato, o patrão iria escolher um ou outro para contratar para o serviço. O primeiro candidato respondeu: “Ah! Eu gostaria que no dia do meu velório, as pessoas em volta do meu caixão, dissessem: "Ele foi um bom homem, um chefe de família exemplar, dedicado a esposa e aos filhos. Um bom amigo, um companheiro leal". Legal, aí veio o segundo candidato: “O que você gostaria que dissessem no dia do seu velório?” E ele falou: "Ah! Eu gostaria que as pessoas em volta do meu caixão, dissessem assim: "Ele foi um homem honesto, um trabalhador responsável, cumpridor dos seus deveres”. Legal. E o terceiro candidato foi chamado e a mesma pergunta foi feita pra ele: “E você, no dia do seu velório quando o seu corpo estivesse dentro de um caixão, o que você gostaria que as pessoas em volta dissessem?” E aquele terceiro candidato, respondeu: “Ah! Eu gostaria que elas dissessem: Vejam, ele está se mexendo!”

Imagina quem foi contratado? Isso mesmo, o terceiro. Porque a gente quer viver! A vida é preciosa. A vida é especial.

Mesmo quando a vida nos machuca e alguma coisa ou alguém nos maltrata, ela é preciosa. Ninguém em suas condições normais, quer morrer. A gente quer viver!

Porque, amados, a vida é única. Mas, a vida é como um espetáculo para o qual a gente não pode ensaiar antes. Não dá pra treinar primeiro e fazer depois. É ao vivo!

Por isso, não dá pra gente desperdiçar a vida agora, achando que numa próxima vez, a gente corrige os erros que cometeu e vamos aproveitar melhor as oportunidades que foram desperdiçadas. Não, não tem ensaio, não tem treino. A vida é uma só.

A Bíblia, a Palavra de Deus, fala no livro de Hebreus 9.27, que cada pessoa tem de morrer uma vez só e depois ser julgada por Deus.

A gente morre uma vez só, porque a gente só vive uma vez. Então precisamos viver bem. Até porque depois da vida, diz a Bíblia, há o julgamento de Deus, quando nós teremos de prestar contas ao Senhor.

Além disso, irmãos, a vida é muito passageira. Ela corre. É por isso que precisamos aproveitar bem cada dia, cada hora, cada minuto. A vida é delicada e é ligeira, ela passa rápido.

Lemos na Bíblia o Salmo 90, que foi uma oração de Moisés. No v.9 ele declarou: “a nossa vida termina como um sopro”. E no Novo Testamento, Tiago escreveu que a vida é como a neblina (v.14). A vida é como um vapor, uma neblina.

De manhã cedo na roça, nessa época mais fria do ano, dá pra ver sobre o rio aquela fumaça branca, aquela neblina... mas, não dura muito, porque quando surgem os primeiros raios de sol, ela evapora. Tiago diz que a nossa vida é como a neblina, ela passa depressa.

 

Um outro fenômeno da natureza que nos ensina como a vida é rápida, é a cerração. Eu estava em Teresópolis com a família duas semanas atrás, e da janela da casa dos meus pais dava pra gente ver a cerração da manhã e às vezes, até no meio da tarde! Nas serras isto é muito comum. O nevoeiro aparece muito lindo, mas logo desaparece, não dura o dia inteiro! A vida é desse jeito, passageira.

Parece que foi ontem que eu fiz 15 anos de idade. Só parece. Pior que é verdade. Quem está aí nos seus 50 ou 60, 70 anos, acha a mesma coisa: parece que foi ontem. Nossos anos de vida passam muito depressa.

Então, sabedores disso, como é que devemos viver a vida? Qual será o nosso estilo de vida? Esta é a pergunta mais importante de todas. Como vamos viver a nossa vida?

E aí, eu quero convidar você esta noite, para juntos examinarmos o estilo de vida de Jesus, porque Ele é o Senhor, o nosso Mestre. É de Jesus que nós aprendemos as lições mais preciosas. E, certamente, eu e você, se imitarmos o estilo de vida de Jesus, se nós tomarmos o estilo de vida de Jesus como o nosso modelo, como o nosso exemplo, nós vamos viver de maneira tão abençoada como Ele viveu. Amém?

Então, vamos ver qual o foi o estilo de vida de Jesus, a maneira como Jesus viveu, porque, o que Jesus fez, nós precisamos fazer.

Lc 13.22 diz que Jesus percorria aldeias e cidades, ensinando e caminhando para Jerusalém. Este era o estilo de vida de Jesus. É assim que o evangelista Lucas resume a vida do Senhor.

Bem, o que isto significa? Irmão, a primeira coisa que podemos aprender aqui é que é preciso aproveitar as oportunidades que Deus nos concede.

Porque, observe o texto: Jesus percorria as cidades e as aldeias. Na época de Jesus, as pessoas moravam ou na cidade ou numa aldeia. O que são cidades e o que são aldeias?

As cidades, nos dias de Jesus, eram grandes e eram cercadas por muros que protegiam a cidade contra a invasão de inimigos. E a vida na cidade era agitada, era corrida. Na cidade, moravam as pessoas poderosas, ricas, influentes e havia muita agitação. As cidades sempre foram assim.

Mas, havia as aldeias, as aldeias são menores do que as vilas. São pequeninos povoados. As aldeias não tinham muros para protegê-las, o povo era mais simples, e a maioria até de poucos recursos. Nas aldeias, a vida corria mais devagar, tudo era mais calmo. As pessoas eram mais pobres, mas também tinham mais tempo umas para as outras. Era assim as aldeias.

 

Pois bem, quando lemos na Bíblia que Jesus percorria as cidades e as aldeias, podemos chegar à seguinte conclusão: para Jesus, nenhum lugar era grande demais e nenhum lugar era pequeno demais.

Jesus não passava perto de uma cidade, olhava aqueles muros, pensava naquela gente e dizia: “Humm, isso vai me dar muito trabalho!” Jesus também não passava perto de uma aldeia, via aquelas poucas pessoas e dizia: “Ah! Isso não vai dar um bom resultado, é muito pouca gente”.

Não! Para Jesus, nenhum lugar era grande demais, nenhum lugar era pequeno demais, ou seja, Jesus aproveitava todas as oportunidades. Porque Jesus entendia que, se as oportunidades chegavam até Ele, se Ele passava por uma cidade, se Ele passava por uma aldeia, era porque essa era a vontade de Deus pra Ele.

Então, eu quero dizer pra você nesta noite: não desperdice as pequenas oportunidades. Não desperdice as coisas pequenas!

A Bíblia diz isto no livro do profeta Zacarias (4.10), sobre não desprezar o dia das pequenas coisas. Portanto, não despreze a oportunidade de fazer um pequeno serviço, de ter um pequeno encontro ou de receber uma pequena graça, não desperdice.

Jesus passava pelas aldeias. Aldeias falam de coisas pequenas, de pequenas oportunidades. Não despreze as coisas pequenas da vida.

Querido irmão, membro desta igreja: Não despreze a condição de estar aqui, num prédio pequeno, numa igreja de porte pequeno, porque esta é uma fase para ser vivida intensamente. Daqui a pouco, o grupo aumenta, começa a faltar lugar pra estacionar carro, lugar pra sentar... mas, pode ser que alguém não valorize o pequeno e diga: “Ah! É pouca gente, é um grupo pequeno. Domingo de manhã tem escola bíblica pequena”. Irmão, um filho pequeno deve ser bastante curtido, bem paparicado, porque é uma fase. No começo você leva de mãozinha dada no portão da escola; depois ele vai sozinho, porque mudou de fase! Mas pra ela chegar, não despreze o dia das pequenas coisas.

Também, não se intimide diante das grandes oportunidades. As vezes, Deus coloca diante de nós um desafio. Esse grande desafio pode ser um grande problema, mas pode ser também uma grande porta de emprego! Um grande desafio, pode ser uma grande promoção... O desafio pode fazer as nossas pernas tremerem, o nosso coração disparar e fazer a gente pensar: “Não, isso não é pra mim não. Isso é grande demais para mim”.

Irmão, se Deus permitiu que uma oportunidade chegasse até você, não se intimide. Se Deus permitiu que a oportunidade chegasse, não a desperdice.

Se você está apaixonado por aquela mina, não perca a oportunidade, diga pra ela, antes que outro diga. Não deixa a oportunidade passar!

Se tem alguém que você ama, pega no telefone e fala hoje, liga pra ela/pra ele, e diga “Eu amo você. Eu sinto sua falta. Você é importante pra mim”. Passa um e-mail ou um WhatsApp.

Não desperdice as pequenas oportunidades, mas também não se intimide diante das grandes oportunidades, porque se o Senhor trazer a você uma grande tarefa, Ele vai trazer a você também, a capacidade para desempenhar a tarefa. Amém? [aplauda então, ao Senhor]

 

Há uma passagem interessante na biografia de Napoleão Bonaparte, que foi um líder político e militar na época da revolução francesa. Dizem que um dia, Napoleão estava com o seu exército, ele ia montado em seu cavalo e, caminhando, eles chegaram a um lugar onde uma porteira precisava ser aberta para que os soldados passassem. E apareceu um soldado de praça, soldado raso, sem graduação nenhuma, que tomou a iniciativa em abrir a porteira. Não precisou ninguém pedir, não foi preciso ninguém falar, e ele abriu a porteira para que Napoleão pudesse passar com os soldados. Napoleão gostou daquela atitude e meio que na brincadeira, porque o sujeito era um soldado sem posto nenhum, então, meio que na brincadeira, Napoleão disse pra ele: “Obrigado capitão!” E o soldado virou para ele e disse: “De que regimento, Senhor?” Napoleão continuou na brincadeira, gostando da atitude do soldado e disse: “Do meu!” E o soldado bateu continência, e foi lá perto do que comandava o exército e disse: “Bom dia, senhor, eu estou aqui para substituí-lo”. E aquele capitão perguntou: “Mas, por ordem de quem?” E ele falou: “Por ordem dele” e apontou para o Napoleão.

É isso! Não se deixe intimidar pelas grandes oportunidades que aparecem diante de você. Não se apequene diante do desafio. Você é capaz. Você consegue, você dá conta. Sabe por que? Porque Deus está com você.

Não é porque você é grande e inteligente, especial, você é tudo isso, mas não é por causa disso, é porque Deus está com você. E se Deus permitiu que você passasse por uma cidade, lugar das grandes oportunidades, é porque Ele vai te capacitar.

Se Deus te permitiu passar por uma aldeia, lugar de pequenas oportunidades, quer nas coisas grandes, quer nas coisas pequenas, aproveite as oportunidades que Deus te concede.

Jesus era assim. Para Jesus nada era grande demais, nada era pequeno demais.

Segunda coisa que podemos aprender com o estilo de vida de Jesus: é preciso cumprir a missão que Deus nos confia.

Se voltarmos a ler o v.22, lemos que percorria Jesus as cidades e as aldeias ensinando. Jesus não fazia turismo. Jesus não dava um passeio, um rolé que não tivesse um propósito.

Algumas pessoas dizem assim: “Eu estou na vida à passeio. Eu não vim à vida a trabalho, eu vim à passeio”. Jesus não pensava desse modo. Jesus caminhava, Jesus andava, mas não era um passeio, Ele tinha um propósito, um objetivo, uma missão: Ele ia nas cidades e nas aldeias ensinando, porque esta era a Sua missão, esta era a Sua responsabilidade.

Jesus estava no mundo para ensinar a respeito de Deus. Ele veio para ensinar sobre o amor, sobre a esperança... veio para falar sobre a vida, sobre a eternidade. Jesus veio para nos ensinar a verdade, porque Ele é a verdade que liberta! Jesus veio para nos dizer como podemos agradar a Deus nos nossos passos, nas nossas atitudes, nas nossas ações.

Jesus andava por este mundo ensinando. Ele cumpria a Sua missão. E esta noite, eu quero perguntar a você com muita seriedade, olhando nos seus olhos: você tem cumprindo a missão que Deus confiou a você?

Que missão, pastor? Bom, todos nós temos uma missão na vida. Tem tarefas que Deus confiou a todos os seres humanos para fazer, especialmente quem é discípulo.

É a tarefa de amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como amamos a nós mesmos. Mas, esta é uma tarefa geral.

Ocorre que a cada um de nós, Deus dá também uma tarefa especial, uma tarefa que a pessoa que está sentada ao seu lado hoje não recebeu, mas que Deus deu para você.

Deus me deu a missão especial de ser um pregador da Sua Palavra. Eu estava no começo da juventude quando compreendi isto. O meu pensamento era cursar desenho publicitário. E eu penso que podia ganhar um bom dinheiro nesse ramo, mas Deus me confiou uma missão diferente e eu me sinto feliz por ter obedecido à Ele.

 

Uma honra que Deus me deu foi servir por examinador principal de um candidato a missionário em 1996, o Fabiano Nicodemo. Aquele jovem irmão foi aprovado, casou-se e não demorou muito, foi nomeado missionário dos batistas brasileiros para a cidade de Nápole, na Itália. Eles deixaram Ribeirão Preto-SP, a família e os amigos para residir com os italianos com o propósito de pregar o evangelho pra eles.

O Pr Fabiano e sua esposa Anne, poderiam ter sua casa própria aqui no Brasil, ter o seu carro bonito, ser bons cristãos, domingo estar no culto da igreja, entregar o dízimo, serem bons cristãos, porém, Deus deu a eles uma missão particular e eles disseram “estamos prontos, Senhor”. Estão quase 20 anos em Itália, servindo como missionários e felizes da vida.

Você tem cumprido a missão que Deus confiou a você? Cada um tem a sua missão especial na vida. Talvez você esteja no processo de identificar essa missão, ou já a identificou... quem sabe, a missão da sua vida é ensinar, é projetar, é construir, é administrar, é tratar os doentes...

Mas todos também temos uma missão em comum, uma missão geral, que Deus deu a todos os Seus filhos: é a missão de fazer discípulos.

Quando você se tornou um crente em Jesus, você ganhou a missão de se multiplicar em outros discípulos para Jesus. Fazer discípulos é a missão que temos em comum.

Mas, o que aconteceu conosco? Irmãos, os anos foram passando e nós fomos nos descuidando da missão de fazer discípulos.

Nós crentes, nós aqui e a maioria dos evangélicos, temos entendido que frequentar os cultos da igreja, entregar os dízimos, até convidar outras pessoas para participar conosco, já está de bom tamanho; já é missão sendo cumprida. Mas isto não é fazer discípulos.

 

Nós temos deixado de lado a missão que Deus nos designou. E este não é um bom estilo de vida, porque você nunca vai se realizar plenamente como ser humano, como filho de Deus, enquanto não estiver no centro da vontade de Deus.

Um grande escritor brasileiro chamado Érico Veríssimo, escreveu o seguinte: “Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente”. Que coisa triste deixar a vida nos levar.

Felicidade é a certeza de que nossa vida não está se passando inutilmente. Eu estou cumprindo a missão da minha vida? Deus está me usando?

Que coisa maravilhosa, irmão, é quando a gente sente isso! “Hoje Deus me usou!” Ah! Como aquele dia é legal e como aquela noite a gente coloca a cabeça no travesseiro e se sente feliz, realizado.

Você está cumprindo com o seu chamado, com a sua missão? Deus quer usar você. Ele tem um propósito, tem uma missão, tem um objetivo pra você, um geral e um especial. Você precisa estar no centro da vontade de Deus. Amém?

E outro ensino muito importante nesta história, nesta declaração do evangelista Lucas sobre Jesus, é que é preciso seguir para a direção que Deus nos aponta.

Quem vive como Jesus viveu, aproveita as oportunidades que Deus concede, cumpre com a missão que Deus confia, e outra verdade: segue na direção que Deus aponta.

Não é isso que está escrito no v.22? Está escrito o seguinte: “E percorria as cidades e as aldeias, ensinando, e caminhando para Jerusalém”. Preste atenção nestas palavras, caminhando para Jerusalém.

Em uma outra passagem o evangelista diz que Jesus (Lc 9.51 - ACF): “manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém”.

E o que esperava por Jesus em Jerusalém? Em Jerusalém esperava por Jesus uma cruz. E é para lá que Deus estava mandando Jesus ir: “Vá para Jerusalém. Vá para a cruz, porque lá, você morrerá pela humanidade, lá você derramará o sangue que tem poder para lavar os pecados, para salvar a alma e para escrever o nome no livro da vida. Vá para Jerusalém”. E Jesus foi. Morreu na cruz, cumpriu a missão e Deus colocou de volta o Seu Filho sentado no trono.

Meu amado, eu e você precisamos ir na mesma direção que Jesus foi. A cruz fala de entrega. Jesus Se entregou à morte na cruz em Jerusalém para nós sermos salvos.

Também precisamos entregar a direção da nossa vida para Deus dirigir e abençoar, precisamos entregar nosso coração para Jesus encher com a presença dEle e com as coisas dEle.

Jesus sabia que em Jerusalém, uma cruz esperava por Ele. Ele disse: “Quando Eu chegar lá em Jerusalém, Eu vou ser levantado, Eu vou ser erguido”, mas, aí, Ele disse o seguinte: “e eu quando for levantado, a todos atrairei a mim”.

Aquele lugar para onde Jesus foi, todos devemos ir. Tods precisamos entregar nossa vida, nossa alma para Jesus, porque ninguém nasce salvo. Ninguém nasce crente. É preciso fazer uma entrega do coração a Jesus.

Não é pelo fato de você ter nascido e crescido dentro de uma igreja, que você é filho de Deus. Filho de crente não nasce crente!

Billy Graham (e meu filho me trouxe de presente um maravilhoso livro de Billy Graham esta semana), um pregador que costumava dizer: “Achar que sou um crente porque estou dentro da igreja, é a mesma coisa que achar que eu sou um carro, porque estou dentro de uma garagem”. Nada a ver.

 

Uma pessoa se torna filha de Deus, quando ela entrega o seu coração para Jesus. Quando ela olha para Jesus e diz “me perdoa, me salva, me purifica”. E, enquanto não fizer isso, não conseguirá fugir do inferno, não conseguirá entrar no céu.

Mas, quando você vai na direção que Deus aponta, você tem um encontro com Jesus e você pode dizer: “Eu entreguei a minha vida para Ele. Ele agora é o meu Senhor e o meu Salvador. Agora, sou um filho de Deus e estou salvo!”

Deixa eu te contar uma história rápida.

Muitos anos atrás, lá no velho oeste americano, nos tempos do ban bang, conta-se que um homem atravessava um campo muito grande, muito largo, numa época em que o mato estava seco toda vida. E aquele homem, sozinho, solitário, atravessava aquela planície. De repente, um relâmpago e um raio pôs fogo no mato. E aquelas plantas ressecadas, logo começaram a queimar. E daí a pouco aquilo se transformou num grande incêndio. As chamas formaram uma parede, que, empurradas pelo vento, avançavam velozmente na direção daquele homem. E naquela hora ele pensou: “A vida acabou para mim, eu vou morrer”. Porque o fogo estava alto e vindo rápido na direção dele. Ele começou a pensar na esposa que não iria mais ver, nos filhos que não iria mais abraçar, nos sonhos que não iria realizar... Não tinha meio de salvação. Mas, nessa hora, ele teve uma ideia: “Talvez haja uma esperança, talvez haja algo que eu possa fazer para não morrer queimado”. E tirando do bolso uma caixa de fósforo, correu alguns metros adiante, pôs fogo no mato, controlando pra não crescer, e o mato à sua volta começou a queimar. Enquanto isso, as outras chamas bem grandes se aproximavam. E o tempo foi a conta. Ele foi para aquele lugar aonde o fogo já havia consumido o capim seco e se deitou lá. Desse modo, quando as grandes chamas chegaram, elas passaram em volta daquele lugar aonde o fogo já tinha queimado antes e assim, a vida daquele homem foi salva.

Meus amados, o mesmo se dá com relação a nós. Existe um lugar aonde o fogo já queimou, existe um lugar onde o fogo já ardeu, o fogo da ira de Deus. Lá em Jerusalém, no Calvário, a Bíblia diz que Jesus levou sobre Ele os nossos pecados e o fogo do juízo ardeu sobre Jesus. É para lá que você precisa correr.

Não existe outra direção para ser salvo. Em nenhum outro há salvação, diz a Palavra de Deus. Vá na direção que Deus lhe aponta. Entregue sua vida para Jesus.

 

Ministração

Você já teve um encontro com Jesus, entregando pra Ele a direção da sua vida?

Amado, adote o estilo de vida de Jesus. Aproveite as oportunidades que Deus te dá. As pequenas oportunidades e as grandes oportunidades, não deixa passar nenhuma!

Cumpra a missão que Deus te confiou. Não desperdice a sua vida numa coisa que não é o propósito de Deus para você.

É Jesus que faz a vida valer a pena!

 

Pr Walter Pacheco da Silveira

bottom of page