top of page

AMOR INCORRUPTÍVEL

EFÉSIOS 6.24

 

“A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo com amor incorruptível” (Ef 6.24 - TB).

 

Em 2018 foi feita uma pesquisa com mais de 2 mil pessoas para determinar os 20 lugares mais românticos do planeta. O número um da lista foi a capital francesa. Mas tem os que acreditam que não importa o local, porque o que faz o lugar ser romântico é a companhia da pessoa amada. Então, tá valendo a nossa praça, a nossa Ponte Preta... tá valendo!

É em lugares assim que os namorados escolhem para uma declaração de amor entre eles, tipo: “Eu vou te amar para sempre!” É muito lindo isso!

 

Porque, quantos casais que já não sentem mais nada um pelo outro! É triste quando se perde o amor!

Mas, graças a Deus, muitos casais tem provado um milagre de Deus em seus relacionamentos, resgatando o amor que haviam perdido.

 

Nessa questão do amor, é legítimo o desejo que temos de não somente amar, mas de sermos amados também.

É legítimo ainda, esperar que o amor não acabe e nem se corrompa. Quem ama quer ser amado para sempre.

 

Pois é desse mesmo modo que Deus quer que nós O amemos. O apóstolo Paulo expressa isso: “A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo com amor incorruptível” (Ef 6.24 - TB).

 

Temos aqui uma definição do tipo de amor que coloca a nossa vida debaixo do favorecimento de Deus.

Algumas versões bíblicas usam um termo diferente na tradução deste verso, algumas usam a expressão “amor sincero” ou “amor perene”.

 

A Tradução Brasileira usa o termo “incorruptível”. Pode ser uma palavra mais difícil, mas é o melhor tradução para a palavra grega que o apóstolo Paulo usou.

 

A afirmação de Paulo para os cristãos de Éfeso, faz com que reconheçamos uma coisa: que há dois tipos diferentes de amor que o crente pode mostrar pelo Senhor: tem o amor que é incorruptível e tem o amor corruptível.

 

Portanto, quando falamos em amar a Deus, não basta simplesmente dizer que alguns amam a Deus e que outros não (1 Co 16.22). A questão é mais profunda do que essa.

O apóstolo Paulo está se dirigindo aos crentes, aos cristãos, e está dizendo que mesmo entre os crentes, existem os que amam ao Senhor com um amor incorruptível e existem os que deixam que o seu amor por Deus se corrompa, se torne corruptível!

 

A corrupção faz parte da nossa natureza desde quando ela foi afetada pelo pecado.

 

Agora por causa do pecado, nossa natureza precisa ser dominada pelo Espírito Santo de Deus, porque senão, ela só procura a maldade e aquilo que é mal.

O bebê que nasce, que gracinha que é! Uma inocência que impressiona. Mas pode observar: quando a criança vai crescendo, a rebeldia vai aparecendo.

 

Nenhuma criança precisa ser ensinada a desobedecer, a fazer pirraça, a fazer travessura, porque a natureza corrupta do ser humano vai vindo à tona.

Nos dias de Noé, Deus mandou o dilúvio sobre a terra, justamente por causa da corrupção do ser humano.

Está escrito: “O Senhor viu que a perversidade do homem tinha aumentado na terra e que toda a inclinação dos pensamentos do seu coração era sempre e somente para o mal [...]. Esta é a história da família de Noé: Noé era homem justo, íntegro entre o povo da sua época; ele andava com Deus. Noé gerou três filhos: Sem, Cam e Jafé. Ora, a terra estava corrompida aos olhos de Deus e cheia de violência. Ao ver como a terra se corrompera, pois toda a humanidade havia corrompido a sua conduta, Deus disse a Noé: "Darei fim a todos os seres humanos, porque a terra encheu-se de violência por causa deles. Eu os destruirei juntamente com a terra.” (Gn 6.5, 9-13 - NVI).

 

E além do ocorrido nos dias de Noé, um outro exemplo da corrupção do ser humano, pode ser visto no que aconteceu com o povo de Israel no deserto, logo depois que Deus os libertou do Egito.

 

Moisés tinha subido o monte para receber os Mandamentos de Deus e ouviu Deus afirmar o seguinte para ele, Moisés conta: “Então o Senhor me disse: ‘Levante-se! Desça agora mesmo, pois o povo que você tirou do Egito se corrompeu. Como se desviaram depressa do caminho que eu lhes havia ordenado! Derreteram metal e fizeram um ídolo para si!” (Dt 9.12 – NVT).

 

Pensa nisso. O povo de Israel foi libertado da escravidão em que viviam no Egito. Mas, Deus libertou o povo e preparou uma terra que mana leite e mel para eles. Todavia, eles nem chegaram a cruzar o deserto e a corrupção já estava na flor da pele, declarada. Deus fala que “se desviaram depressa do caminho”.

É triste admitir que a nossa natureza é inclinada para a corrupção. O que a natureza do ser humano era no passado, continua sendo hoje!

Então, se você é cristão, é um crente, um seguidor de Jesus e os Seus ensinamentos, o seu desafio é andar sempre sendo cheio do Espírito Santo.

 

Porque se você estiver tão cheio do Espírito Santo, Ele poderá conservar o seu amor por Deus intocável, inviolável, incorruptível.

 

As estatísticas mostram que o número de crentes evangélicos tem crescido nos últimos tempos. A mídia mostra toda hora. A gente vê evangélico nos programas de televisão, nos gramados de futebol, no cenário político...

Porém, a quantidade de crentes que abandonaram a igreja nos últimos anos, é quase a mesma dos que permanecem firmes. Porque são crentes, mas não sendo zelosos em se manter cheios do Espírito de Deus, por isso o amor deles por Deus foi se esfriando, se corrompendo.

 

O maior desafio hoje é o seguinte: convidar pessoas para a fé em Jesus, mas também ensinar essas pessoas a amarem a Deus com um amor incorruptível!

 

E como conseguimos isso? Como eu e você podemos amar a Deus com esse tipo de amor que não se deixa corromper?

Primeiro, entendendo que a nossa própria natureza é pecaminosa, é corrupta, devido ao pecado.

 

Esse reconhecimento levou o apóstolo Paulo a desabafar dizendo assim: “Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?” (Rm 7.24 – NVI).

A corrupção está na nossa própria carne.

É por isso, mais uma vez, que você, crente em Jesus, deve se conservar cheio do Espírito Santo, porque desse modo e somente desse modo, a sua natureza carnal será dominada.

 

E essa é uma questão de você escolher onde investir, se na sua carne ou no seu espírito.

 

Olha o que está escrito: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna” (Gl 6.7-8 – NVI).

 

Então, apesar de sermos pecadores, apesar de termos uma natureza corrompida, não estamos destinados ao fracasso.

Tem uma escolha que podemos fazer! Nós podemos, pela presença e ação do Espírito Santo em nossa vida, nós podemos nos livrar do modo corrompido de viver.

 

Veja esse texto: “livrem-se de sua antiga natureza e de seu velho modo de viver, corrompido pelos desejos impuros e pelo engano” (Ef 4.22 – NVT).

 

A nossa natureza pecaminosa carrega desejos enganosos, carrega vontade de fazer o que bem entende e de viver como bem quiser, mas não podemos nos entregar a esses desejos, porque são pecaminosos.

Devemos nos livrar deles! Esta é a única forma de não sermos vencidos pela corrupção da carne.

 

É por isso, mais uma vez, que precisamos nos encher do Espírito Santo porque Ele nos ajuda! E uma maneira do crente ficar cheio do Espírito de Deus é lendo a Palavra de Deus.

 

A Bíblia é um poderoso instrumento que Deus usa para fazer com que andemos em vitória.

 

Mas, quando um crente se afasta da Palavra de Deus, a corrupção domina ele.

Foi o que aconteceu nos dias de Neemias, que orou a Deus, dizendo: “Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés” (Ne 1.7 – NVI).

 

Agora, além de carregarmos a corrupção em nossa própria carne, tem ainda outros fatores externos que contribuem para que a nossa corrupção aumente dentro de nós.

 

Todo crente enfrenta a pressão corruptora do mundo: “Faz o que você quer fazer, aproveite a vida, dê vazão aos seus desejos..., se é alguns falam que é indecente, é imoral, não liga pra isso não!”

 

E a única forma de aguentarmos a pressão do mundo é nos encharcando da Palavra de Deus.

 

Esse texto do apóstolo Pedro fala que nos tem sido dadas grandiosas e preciosas promessas (uma referência à Bíblia, as Sagradas Escrituras), para que por elas nos tornemos participantes da natureza divina e possamos fugir da corrupção que há no mundo (2Pe 1.4 – NVI).

 

Quando a Bíblia fala sobre o mundo, ela está falando de um sistema de coisas que existe para pressionar o o ser humano a se afastar de Deus. São hábitos, são entretenimentos, são maneiras de pensar...

Mas, no meio de todo este sistema, temos que nos manter em alerta, especialmente com relação às pessoas que vivem nesse sistema, porque a Bíblia declara que as más companhias corrompem os bons costumes (1Co 15.33 - TB).

 

Uma das estratégias desse mundo é fazer com que as pessoas amem as coisas desse mundo, porque aí elas vão se distanciando cada vez mais de amar a Deus!

Foi o que aconteceu com um dos ajudantes do apóstolo Paulo. Ele tinha companheiros em suas missões, mas ele pediu a Timóteo, o seguinte: “Procura vir ter comigo breve; pois Demas me abandonou, tendo amado o mundo presente” (2Tm 4.10 – TB).

 

Esse verso revela que a forma que Satanás usa para nos afastar de amar a Deus, é tentando fazer com que amemos o mundo.

 

Aí, a consequência imediata disto é o abandono, não só dos cultos da igreja, mas da Palavra, da oração e do próprio Senhor.

 

E se não reagimos, acabamos nos tornando inimigos de Deus, como está escrito: “Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus” (Tg 4.4 – NVI).

 

Tiago chama os que se tornam amigos do mundo de “adúlteros”. Outra versão usa o termo “infiéis” – adúlteros ou infiéis são pessoas que quebram a aliança.

Os crentes que se envolvem num relacionamento amoroso com as coisas desse mundo, são infiéis.

 

A Bíblia nos dá uma orientação: “Não amem o mundo, nem as coisas que há nele. Se vocês amam o mundo, não amam a Deus, o Pai [...] E o mundo passa, com tudo aquilo que as pessoas cobiçam; porém aquele que faz a vontade de Deus vive para sempre” (1Jo 2.15, 17 – NTLH).

 

Pode estar certo de uma coisa: se o seu amor a Deus está enfraquecendo, você tá desanimado das coisas espirituais, isto se deve ao fato de que, em alguma medida, você está flertando com o mundo.

 

Cuidado, porque o mundo passa, o mundo acaba. Somente pessoas que fazem a vontade de Deus é que vivem para sempre.

Como você está nessa questão do amor a Deus? Alguma coisa violou, corrompeu, o seu amor por Deus?  Algum hábito pecaminoso? Alguma paixão por algo dessa vida? Reaja enquanto você pode.

 

Porque se você aprender a amar a Deus com um amor incorruptível, você será favorecido por Deus! É isto que está escrito: “A graça (ou seja, o favor de Deus, que não merecemos) seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo com amor incorruptível” (Ef 6.24 – TB).

 

Se você não amar a Jesus com amor incorruptível, você não será favorecido por Deus. Você se esforçará, se cansará, ficara esgotado e sem nada conseguir...

 

Pr Walter Pacheco da Silveira, 12.12.2021

Baseado em “De Todo o Coração”, Luciano Subirá

bottom of page